“Pé, cadeira e cadência”: histórias de grandes passistas do carnaval

Livro com depoimentos, memórias e vivências de figuras emblemáticas do samba carioca

Por redação @ncoisascomunicacaoe

A publicação “Pé, cadeira e cadência: trajetórias e memórias de passistas do carnaval carioca” é resultado da pesquisa da jornalista Bárbara Pereira. São relatos de diversas passistas de diferentes idades e gerações, que participaram de entrevistas para a tese de doutorado sobre Memória Social.

Bárbara dedicou os últimos anos da vida dela pesquisando o feminismo a partir de depoimentos das sambistas que fizeram história no carnaval do Rio de Janeiro. No livro, histórias das passistas que se tornaram um dos símbolos das escolas de samba pelo mundo. E a trajetória de muitas que seguiram carreira internacional, ganharam destaque na mídia e os holofotes na Sapucaí, a passarela do samba.

“Pé, cadeira e cadência: trajetórias e memórias de passistas do carnaval carioca” escrito pela jornalista Bárbara Pereira

No entanto, a autora levanta reflexões sobre o alcance da exposição para além do brilho dos paetês e purpurinas. Para Bárbara, enquanto os corpos das passistas estavam expostos nos palcos e na telas de TV, as pessoas por trás das fantasias nunca tiveram visibilidade. O livro descreve cenários que apontam para compreensões contraditórias sobre a imagem das passistas.

E por conta disso, Bárbara explica que há uma espécie de ofuscamento do feminino num universo das passistas. Algo como se só aparecessem como importantes elementos visuais das variadas composições do conjunto artístico do desfile. Sendo assim, o livro levanta o debate sobre o lugar que as passistas ocupam na cultura brasileira.

As personagens

O livro é o registro de memórias de nove mulheres de diferentes vivências e realidades: Aldione Senna, Amanda Ferreira, Nãnãna da Mangueira, Nilce Fran, Maria Lata D’água, Rafaela Bastos, Sônia Capeta, Tânia Bisteka e Tina Bombom.

Elas revelam percursos múltiplos, histórias cheias de rupturas e recomeços.  Relatos, que de acordo com a autora, foram surgindo a partir da investigação de como surgiu o termo “passista”. E também a forma eternizada de dançar o samba.

E mais, para a Bárbara, trata-se de um manifesto às tradições do mundo do samba.

A obra percorre ainda os avanços e os desafios de ser mulher na folia carioca em seus diferentes contextos históricos, assim como as permanências e alternâncias na dança do samba como manifestação cultural”, comenta Bárbara.

Portanto, acredita que ao longo dos anos, as passistas femininas se posicionaram como corpos resistentes e conscientes de suas próprias histórias e rejeitando padrões estabelecidos. “Elas atravessaram a barreira da objetificação e continuam expondo seus corpos reafirmando pressupostos de lutas feministas: meu corpo, minhas regras, meu prazer”, pontua Bárbara.

Foto: Pedro Augusto da Silva, sapateiro preferido das passistas, segurando um dos modelos de sandália mais procurados por musas e rainhas do carnaval.

O livro

É uma obra de 206 páginas, divida em quatro capítulos, com introdução, conclusão e referências biográficas. O prefácio fica por conta de Aydano André Motta, que revela uma história curiosa envolvendo uma das homenageadas do livro, a sambista Soninha Capeta, que brilhou como rainha de bateria na Escola de Samba Beija-Flor de Nilópolis.

Enquanto, a conhecida orelha do livro é assinada por Rafaela Bastos, ex-musa da Mangueira e atual presidente da Presidente da Fundação João Goulart.  E de seu lugar de fala sobre o tema, a sambista define a obra.

Rafaela Bastos no desfile campeão da Mangueira de 2016. Foto: Valéria Del Cueto, acervo carnevaleiro.com

Rafaela afirma: “é um livro que documenta e resgata a reflexão sobre o que é o sambar no pé a partir de quem samba. Ao passo que revela o segmento passista de forma transgressora, nos presenteia também com um importante registro dessa ala que nada mais é do que a expressão autêntica da dança do samba.

“Bárbara Pereira, literalmente imersa, se entrega às provocações, se coloca diante de várias percepções e nos brinda com um recorte histórico do que é ser passista”, conclui Rafaela

A autora Bárbara Pereira

Jornalista e Dra. em Memória Social pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. E autora dos livros: “Estrela que me faz sonhar – histórias da Mocidade” e da crônica “Aquele Abraço”, que faz parte do livro “O meu lugar”

Obra do selo Carnavalize

O livro “Pé, cadeira e cadência: trajetórias e memórias de passistas do carnaval carioca” é mais um lançamento do selo Carnavalize. O único selo literário totalmente dedicado ao Carnaval brasileiro.

São obras que se debruçam sobre o universo do carnaval, oferecendo aos leitores que vão além do aspecto artístico de um dos maiores espetáculos a céu aberto do mundo.

Livro disponível no site Carnavalize. Click AQUI!

Leia também!

2 thoughts on ““Pé, cadeira e cadência”: histórias de grandes passistas do carnaval

Fechado para comentários.