Ginástica rítmica: do sonho para a Europa

Professora de ginástica rítmica coloca crianças e jovens de comunidades do Rio no pódio da superação

Por Neide Diniz
Michele e alunas de ginástica rítmica
Michele Sandes cercada pelas alunas do projeto Ginastas do Futuro.

Todas as quartas e sextas, meninos e meninas se encontram na quadra da Escola de Samba da Imperatriz Leopoldinense, no bairro de Ramos, Zona Norte do Rio de Janeiro, para ter aula de ginástica rítmica com a professora Michele Sandes.

Michele é responsável por mais de 80 crianças e adolescentes, entre quatro e 18 anos, que querem aprender ginástica rítmica.

Eles são alunos do projeto Ginastas do Futuro, idealizado e fundado por Michele Sandes. O grupo, a cada apresentação ou competição, conquista mais uma posição no lugar mais alto do pódio da superação.

Ginástica rítmica: do Rio para a Áustria

O grupo de elite do projeto Ginastas do Futuro conquistou a vaga em 2017. Para realizar a viagem, o grupo organizou uma vaquinha on line na expectativa de arrecadar 280 mil reais . Porém, só conseguiram pouco mais de 7 mil reais. Mas em seguida, veio uma notícia boa.

O ex-técnico da Seleção Brasileira de Futebol, Carlos Alberto Parreira, sensibilizou-se com o trabalho do grupo e ajudou (veja). Com isso, a viagem está garantida. Seguem para a Europa, 22 alunos (entre eles, um menino), a professora Michele e mais dois responsáveis.

Atletas do projeto Ginastas do Futuro
Atletas mostram para o mundo a técnica que aprendem com a professora Michele Sandes.

Em julho, viajam para a 16ª edição do World Gymnaestrada, um dos mais importantes eventos do calendário da Federação Internacional de Ginástica.

Entretanto, o desafio da “sustentabilidade financeira”, como define Michele, continua.

E as rifas ainda são necessárias. Também há outro financiamento coletivo na Internet para custear alimentação e figurino. Para ajudar click aqui! .

Ginástica rítmica começou no Complexo do Alemão

O trabalho de Michele Sandes começou com um grupo no Complexo do Alemão. E logo com as primeiras coreografias, as apresentações foram conquistando o público e premiações. Inclusive, internacionais.

Nesta época, há quase uma década, quando se preparavam para representar o Brasil no torneio da Finlândia, estive num ensaio e vi de perto a dedicação de cada um do grupo  (veja a reportagem).

10 anos do trabalho de ginástica rítmica de Michele

Em setembro deste ano, o projeto Ginastas do Futuro completa 10 anos! Comemoração? Sim! Resistência? Também! “É uma trajetória de muita luta e de muita ajuda de familiares e amigos”, diz Michele com a voz repleta de coragem.

E Michele enfatiza: “no nosso vocabulário não existe o verbo desistir”. No momento, apesar da falta de recursos para as condições adequadas de ensaios, o grupo está com passaporte, passagem e hospedagem agendados para Dornbirn, na Áustria. E quem pode dizer que já não são vencedores?

Leia Mais

Quem é Michele Sandes?

Michele Sandes é professora de educação física há mais 10 anos e conheceu a ginástica rítmica também num projeto social.

Eu era doida pelo balé e quando fui apresentada à ginástica rítmica, me apaixonei.

E tem como não pensar que foi amor à primeira acrobacia?

Com muito mais liberdade de movimentos e saltos do que o balé, como ela mesma explica, a ginástica rítmica passou a ser a vida de Michele Sandes.

Michele Sandes aposta na transformação social

Michele professora de ginástica rítmica
Michele Sandes, idealizadora e fundadora do projeto Ginastas do Futuro: pura determinação!

Minha maior motivação é a possibilidade de cada dia contribuir para a transformação social”, declara Michele. E continua:

gosto de ensinar para meus alunos, que primeiro temos que rever nossas ações e comportamentos. Em seguida, agir! Agir para melhorar nossa casa, família, rua, bairro e, consequentemente, o mundo!

Michele destaca que o projeto se preocupa com a performance e busca descobrir novos talentos, como qualquer modalidade esportiva de excelência.

Mas com um diferencial que Michele faz questão de ressaltar: são incansáveis no objetivo de formar cidadãos: “quero que além de atletas, sejam seres humanos de consciência solidária e comprometidos uns com os outros”.

Michele Sandes: ex-atleta e professora

Para Michele, ter sido atleta foi uma experiência que a levou muito além do do desejo de vencer uma competição.  A troca de conhecimento dentro e fora das quadras é para ela o mais importante. 

Independente de ganhar ou perder, tem muita coisa em jogo: trabalho em equipe, educação alimentar, metas, preparação física, disciplina, um conjunto de exigências que contribuem para nossa formação

Cada etapa enfrentada pela Michele Sandes a fortalece e a faz ressignificar a luta diária para manter o projeto funcionando. “O tempo todo tem de ter estratégia, plano A, B , C, D… para conseguir pagar um figurino, fazer uma inscrição, comprar uniforme ou lanche para os ensaios”.

Não é difícil entender que a vontade de Michele de continuar fazendo o que ama é muito maior do que qualquer dificuldade.

Meninas fazem exercício apoiadas na parede.
A falta de recursos não impende crianças e jovens de conquistarem prestígio internacional.

Avanços e desafios

Diante de desafios, avanços e vitórias fica evidente que o coração de Michele Sandes  sorri de canto a canto quando o sonho traz para a realidade um pouco de esperança.

Minha maior felicidade é um dia poder fazer o que faço para meu alunos, para outras milhares de crianças e jovens com chão adequado,  diversos aparelhos e toda estrutura que merecemos.

O projeto Ginastas do Futuro recentemente passou a ser uma organização não governamental para ampliar o campo de atuação e assumiu a denominação: AICEL (Associação Integrada de Cultura, Esporte e Lazer).

Para saber mais, acesse as redes sociais: Facebook: Ginastas do Futuro e Instagram @ginastasdofuturo

Esta reportagem contou com o aporte tecnológico da Mentoria Digital de Simara Conceição

172 thoughts on “Ginástica rítmica: do sonho para a Europa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *