Passe um batom na autoestima

Daniele da Mata une maquiagem e
empoderamento feminino

Por Neide Diniz

Quem nunca morreu de vontade de passar um batom vermelhaço e sair por aí sambando na cara da sociedade? Agora levanta a mão quem acaba saindo com outro tom. Eu já passei por isso, pensava: _ é lindo, mas para mim  não fica bem, tenho uma boca muito grande. Pois é, se você é assim como eu,  quer usar, mas fica com receio, chegou a hora de ir à frente do espelho e fortalecer  sua autoestima.

Use para ficar em casa, para ir ao supermercado, para buscar seu filho na escola, para fazer o que quiser; você vai se acostumar e cada vez que olhar, vai ainda ainda mais. A dica é da maquiadora Daniele da Mata, que também precisa fazer como pazes com o espelho. “É um processo contínuo, até para mim é um exercício. A gente tem uma dificuldade de lidar com o belo e o sensual sem estereótipos ou preconceitos. Maquiar-se é embelezar-se e nós, mulheres negras, também temos o direito ” , afirma Da Mata.

O sorriso de Da Mata tem o tom do poder da make que toda mulher negra pode desfrutar.

Ela defende que a maquiagem contribui para o empoderamento feminino, em especial, da mulher
negra. “Pode batom vermelho, batom preto, pode inclusive boca tudo e olho tudo, desde que seja harmônico”, mas faz um alerta: “maquiagem para mim é para deixar a mulher mais bonita, não para  transformá-la”. Daniele Da Mata acredita na maquiagem
sem limites e a sua escola de maquiagem, a DaMata MakeUp, ensina a valorizar os traços e potencializar a identidade da mulher.

“A beleza no nosso país é totalmente eurocêntrica e muitas vezes, profissionais ao afinar nariz, diminuir o tamanho da boca transformam mulheres negras em mulheres negras embranquecidas. Ensino que mulheres negras são lindas e maquiadas ficam mais lindas”, relata com a convicção de quem teve que mergulhar no passado para se enxergar no presente. “Hoje, aos 28 anos, vejo em meus traços as referências de minha mãe, minha avó e isso me motiva e me faz ser quem eu sou, mas houve um tempo que eu não achava isso bonito”, confessa uma dolorosa verdade.

A revelação da maquiadora, pode ser entendida como um desabafo coletivo. Historicamente, uma mulher negra não pode ser tratada como uma mídia, exceto em eventos sazonais, como o carnaval, quando é uma divulgação da máxima valorização do corpo. E Da Mata chama atenção para os outros dois vilões: a publicidade e os cosméticos. “O mercado publicitário melhorou, mas ainda precisa avançar muito! Às vezes, uma marca tem o produto específico para uma pele negra, mas não há propaganda e como as pessoas acabam não sabendo e, consequentemente, não comprando ” . Outro exemplo é o atendimento:  “algumas lojas de produtos intimidam uma consumidora negra, não são experimentadas e o atendimento é racista “.

A Afrocruela que existe dentro de Daniele Da Mata expressa força e carisma! Foto: Gabryel Sampaio
PRA VOCÊ ACERTAR NO TOM!

Daniele Da Mata explica que primeiro passo para você arrasar com a maquiagem é encontrar a base certa para o seu tom de pele. E para isso, você deve experimentar. O teste é feito no próprio rosto. E, para quem não sabe se maquiar e quer começar, ela ensina: “a maquiagem para mim depende do humor no dia, mas uma boa base, uma pele uniforme e um batom escândalo já garantem elogios por onde você passar. E arremata: “o segredinho é estar bem consigo mesma!”.

A base da prática deixa a pele acinzenta, preste bem atenção ao comprar. É bom testing também perto do pescoço e do colo. Da Mata use nos óleos e na água termal para hidratar a pele. Para ela, uma tendência para a pele negra é uma maquiagem hidratada. “Fuja da maquiagem, principalmente no verão, e abuse do gloss. Os tons de marsala estão em alta, mas para as retenções não funcionam muito bem ” , orienta. E quando a pergunta é sobre a definição de uma maquiagem perfeita, uma resposta é simples e direta:  “a que eu acredito!” .

DANIELE DA MATA POR AFROCRUELA

A maquiadora já não se reconhece sem o cabelo preto e branco, o que era apenas uma ousada brincadeira,
tornou-se identidade. O visual é uma referência a personagem Cruela Cruel do  filme 101 Dalmatas e da animação de mesmo nome da Disney.  A ideia partiu de um amigo e no início pintou os próprios cabelos, hoje brinca com várias texturas e laces. “Afrocruela me traz um significado de forte e fofa ao mesmo tempo, importante para eu seguir com minha carreira e vencer o racismo’’. Não raro, ela é atacada nas redes sociais e nas ruas por causa de seus cabelos. “As pessoas não respeitam o outro, acham que devem ser do jeito que elas querem que sejam. Porém, somos do jeito que queremos ser!”, finaliza enfaticamente.

1ª ESCOLA DE MAQUIAGEM EXCLUSIVA PARA PELE NEGRA

Você que quer aprender sobre make para mulheres negras, Daniele criou a DaMata MakeUp, a primeira escola de maquiagem exclusiva para pele negra do Brasil. Lá você encontra: palestras, consultorias, aulas de maquiagem para noivas, workshops, automaquiagem, inclusive cursos itinerantes pelo país. Além de adquirir conhecimento, as aulas oferecem grandes lições de empoderamento feminino. Siga @damatamakeup e fique por dentro das novidades.

1.193 thoughts on “Passe um batom na autoestima

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *